domingo, 29 de outubro de 2006

dias intensos

comidinha outra vez!
Escrevo mais sobre pensinho do que sobre o que realmente vim p'ráqui fazer... Mas até agora só havia escrito "maldades" sobre a (mal fadada) gastronomia lappish. Na passada quarta-feira fui ver, cozinhar e saborear algumas receitas tradicionalmente nortenhas. Há coisas interessantes, mas a minha opinião mantêm-se, obviamente.
Não há restolho como o nosso!
O curso foi organizado pela universidade para os "internacionais" e executado por uma organização finlandesa chamada martat, fundada em 1899 para promover a qualidade de vida doméstica. Faz falta algo assim em Portugal para que muitas famílias soubessem como gerir o orçamento; adiante! Quinze aspirantes-a-cozinheiro(a)s, divididos em sete grupos, e instruídos pela simpatiquíssima senhora Eeva (sim, é com dois e's, não é um erro e leêm-se os dois! e sim, eu sei que há erros por aqui. Mas, que diabo!, com dois deditos é díficil dominar cento e tal teclas!) prepararam nove receitas: pão, sopa de salmão, salada verde, rena, almôndegas, puré de batata, legumes salteados, gelado (nesta altura basta colocar na rua e gela!) de bagas - lingonberry, e pão para acompanhar o café. Um bocadinho de cada a cada um de nós e a opinião foi unânime: mais trinta cursos e havemos de ser cozinheiros! 'tou a brincar... estava muito bom; especialmente a rena (adivinhem quem cozinhou?) e as almôndegas. Volto lá ainda no Outono para experimentar o receituário de Natal. E volto cá para lhes contar como foi!

noitada com (tempestade de) neve pelos joelhos
Dois dias depois, resolvi "prendar-me" com um jantar mais cuidado (desejo resultante da experiência anterior) e fui com a menina do forcado procurar um restaurante lappish, o Nili. É muito difícil andar com a menina do forcado na neve. E nevava que deus a dava! Tanto que quase cancelou a jornada até Valtakatu. Depois de despir metade da roupa (luvas, cachecol, gorro, casaco) e sacudir quatro quilos de neve, dois em cada bota (foi uma estreia promissora para as botas novas: logo no primeiro dia experimentaram uma tempestade...) estava pronto para comer uma rena! Mas o preço tirou-me o apetite... O mais barato era mesmo uma omolete (para isso ficava em casa!). Bebi cerveja (por aquele preço, Sr. Ferreira, bebemos uma Barca Velha. Está prometido!) e à sobremesa quase pedi a omolete... Mesmo apertando o cinto (o estômago justificava) lá foram € 30,00 por cabeça. Depois disto fui conhecer uma disco novinha (inaugurada há uma semana) e (finalmente!) um espaço mais cosmopolita. Mas sobre isso havemos de falar (está prometido à Teresa) mais adiante.

dança de luzes para as sebastianas
Freamundenses! Está decidido: em 2010, depois da Unidos da Tijuca, dos Catrapumpum (e de todos os outros!), do Pontes, e de pontes quiçá; as sebastianas terão auroras borealis. Ainda não sei o cachet nem se estarão disponiveis para o mês de Julho (aqui só "trabalham" entre Outubro e Abril) mas que deixarão bocas e olhos escancarados e ahs! de estupefacção ninguém ouse duvidar! Freamundenses, não sou digno de exibir aqui nenhuma imagem do espectáculo a que tive o previlégio de assistir, não porque tivesse sido impedido de registar todo ou parte do evento, mas porque neste caso, conterrâneos, imagem alguma é capaz de mostrar de facto a beleza deste bailado de luzes. Sigam o link anterior e imaginem isto a acontecer por cima das nossas cabeças. A lenda diz que as northern lights são produzidas pela raposa do ártico que corre para o norte e toca as montanhas com a pele, libertando faísca que voam pelo céu; outra versão da história diz que a raposa provoca as luzes no céu varrendo neve com o rabo. Enquanto assisti, até era capaz de acreditar que o Benfica tinha equipa p'ra ganhar ao FCP! Puoooooorrtoo! (repararam no meu braço em riste p'ró topo norte, ah?)

3 comentários:

JoaoK disse...

Nao sei se o teu teclado tem letras Russas.. isso atrapalha muito especialmente quando mudas de língua com frequência e te faltam acentos por assentar :)!! A onde estao eles onde? Onde?

Pede na Martat a receita da Compota de Cebola Rôcha, não é tanga, liga bem com porco e alho gratinado (as merdas que eu sei..) Para de te queixar e vê lá se acordas pa bida.. ou tenho de ir aí te mostrar como se mete a coisa ao lume?! :)

Dica dabozinha:
"Meu filhinho Zequinha.. aiii...não te esqueças daquilo que bou a dizer.. há sempre um testo para cada panela."

Anónimo disse...

Eu podia comentar o teu ultimo testamento de bares e coisas afins, mas perfiro colocar o meu comentário neste mais apetitoso.

Espero que estejas bem e que esteja tudo a correr bem por terras do pai natal, já agora se o vires por ai pede-lhe um carrinho, mas n de linhas, daqueles que t^m 4 rodas, porque o meu velhadas já tá com 20 aninhos, iiii.

Beijos grandes e "boas comezainas".

Helena

Anónimo disse...

intiresno muito, obrigado